terça-feira, janeiro 31, 2012

Viscount VC-90 FAB2101


O primeiro kit do ano ficou pronto!!! Na escala 1/144, da marca S&M Models, custom decals. Ele representa o Viscount VC-90, registro FAB2101, serial number 345, modelo 789D, recebido novo em 23.12.1957. A aeronave fez seu 1º vôo em 01.12.1957 e operou até o final dos Anos 60 na FAB. encontra-se preservado no Museu Aeroespacial no Campo dos Afonsos no Rio de Janeiro. Sua função era transportar o Presidente da República e foi bastante usado por Juscelino Kubitschek para acompanhar a construção da (então) nova capital, Brasília. Mais fotos no Hangar de Plástico, clique AQUI.

Sérgio

Fotos antigas


Não se trata de propaganda... Estou divulgando porque achei sem querer nas bancas e é maravilhoso. Vale divulgar... Vejam mais AQUI.

Sérgio

Filme BBB


Não basta fazer um filma B... Tem estúdio que capricha no BBB, trash mesmo rsrsrs Esse é de 2011: Tubarões de Areia. Lembrando, praticamente plagiando, a clássica franquia “O Ataque dos Vermes Malditos” (Tremors), aqui temos criaturas subterrâneas que atacam sob a areia, puxam suas vítimas e as devoram. É um filme no mínimo “inusitado”. Um novo clássico do cinema trash. Achei ótimo o cartaz. Vejam o trailer abaixo...

Sérgio


Artistas digitais...


Eeeeeeeeeeeeeu quero um... Saibam mais AQUI.

A nomadbrush se especializa em pincéis que funcionam em tablets e smartphones com telas sensíveis ao toque. O Nomad Compose, na foto, tem duas pontas: a de pincel, feita com cerdas reais e sintéticas, e a de stylus, que serve como caneta para o dispositivo. Custa US$ 40. O Nomad Mini tem 11,43 centímetros e é voltado a smartphones e custa US$ 20. Os pincéis da série Nomad Play são coloridos e voltados a crianças, custando de US$ 18 a US$ 26.

Sérgio


segunda-feira, janeiro 30, 2012

A Rita e o Zeca



É... Cada um pode dizer o que bem entende. Mas deve saber que terá de arcar com as consequências. Viram o que a Rita Lee fez neste final de semana em Aracajú? Se não viram, assistam o vídeo acima antes de continuar. Se já viram, podem ler. Primeiro, é preciso que se para de colocar culpa de tudo na Ditadura de 40 anos atrás. Dizer que fulano pode isso ou aquilo por ter sido "perseguido" pelos militares é ser paternalista. Chega. Dizer que se pode, ao microfone, para 20 mil pessoas, fazer apologia ao  uso da droga, desacatar policiais e achincalhar a lei, não está certo e PONTO. Para mim, não deviam nem deixar ela terminar o show. A cantora deve responder por desacato e certamente, por ser artista, fará transação penal e boa. Mas, aceitar este tipo de desrespeito à lei, no micro, gera gente que não respeita a lei no Macro.  Não é porque ela fuma que a Polícia deve deixar todos fumarem no seu show. E tem gente, como o "jornalista" Zeca Camargo da Globo que defende isso. Clique AQUI e vá ao G1 para ver o que ele escreveu e opinar se quiser. Para mim, o Zeca Camargo (quem?) perdeu uma excelente oportunidade de ficar quieto. Abaixo o texto dele...


Raras vezes fiquei tão feliz por ter me tornado um jornalista musical quanto nas oportunidades que tive de entrevistar Rita Lee. E elas foram várias – desde o tempo em que eu era um repórter num jornal mesmo, de papel (acredite: houve uma época onde as pessoas se informavam desse jeito!), na “Folha de S.Paulo”, até mais recentemente no programa que hoje apresento (“Fantástico”), passando, claro, por incontáveis encontros dos meus idos tempos de MTV. Não me lembro de Rita ter me decepcionado em nenhuma dessas vezes. E não digo isso por simples deslumbramento. 


Sempre fui fã assumido de Rita. Por questão de uma geração, minha introdução ao seu trabalho não foi pelos Mutantes – banda que fui conhecer justamente depois de já muito admirar seu trabalho solo, pois ainda era criança quando eles estavam no auge – mas pela sua carreira solo. Dela, só tenho boas lembranças. “Tutti frutti” foi uma espécie de analgésico que me ajudou a atravessar a adolescência – e mesmo na sua fase mais pop, onde boa parte do seu público “antigo” começou a desconfiar da credibilidade de Rita (ao mesmo tempo em que uma audiência ainda maior ia sendo conquistada com sucessos como “Lança perfume”, “Saúde”, “Desculpe o auê” e quejandos), eu continuava um admirador fiel.

Se alguém vier falar mal de “Caso sério”, “Ôrra meu” e “Atlântida”, entre outros sucessos duvidosos, vai arrumar confusão comigo. (Podemos até argumentar que a “Rita dos anos 70” – de “Jardins da Babilônia”, “Eu e meu gato”, “Papai me empresta o carro”, “Doce vampiro”, “Mania de você”, e, claro, todo o “Fruto proibido” – tinha uma outra pegada, mas isso seria levar a discussão que quero levantar para outro canto, e sobretudo hoje não posso divagar…).

Levanto toda essa bola para tentar passar para você a dimensão do que significava para mim entrevistar Rita Lee. E não apenas da primeira vez que isso aconteceu, mas em todas as entrevistas que fiz com ela. Ser chamado por alguém que sempre foi uma referência tão forte para mim de “Zequinha”, como acabou acontecendo com o passar dos anos, era não apenas um sinal de intimidade – conquistada justamente nesses encontros –, mas um discreto elogio não-intencional: era como se Rita tivesse me dado a honra de fazer parte de um círculo muito exclusivo de pessoas que ela resolvia chamar por um diminutivo carinhoso. Coisas de um fã que de repente vira repórter e às vezes não sabe direito qual de seus dois lados é mais forte…

Por uma amiga em comum – Mônica Figueiredo, que foi minha diretora na “Capricho”, em meados dos anos 90 – tive ainda a chance de conhecer Rita mais de perto. A amizade das duas vinha de outras décadas – e eu, que era não apenas um editor-chefe dedicado, mas também um admirador de Mônica, peguei uma deliciosa (e frutífera) “carona” nesse convívio. O que só reforçou toda o amor e o respeito que eu tinha por Rita Lee.

De tantas coisas que ela tem para se tirar o chapéu, talvez a que mais me encanta até hoje é sua honestidade. Rita usou essa carta na manga durante toda sua vida – e não apenas em sua música. Em todas as entrevistas que fiz com ela, era isso que mais que encantava: para câmera (ou apenas para o repórter), ela dizia o que pensava – mesmo que fosse uma revelação que pudesse pesar contra ela. Entre tantas passagens assim, lembro-me de umas boas que saíram de uma ocasião em 2004 – um feliz encontro em que Rita estava extremamente à vontade. Alguns pontos altos:

“Eu experimentei Botox outro dia… Ficou mais leve, mas o combinado era eu ficar parecida com a Gisele Bündchen”.

“Me colocaram um pino de titânio – eu tenho um lado bem tortinho aqui, ó – mas eu gosto dele…”.

“Deixa cair… tá bom… eu não posso reclamar… depois de tudo que eu fiz Zequinha, meu filho…”.

Como não gostar de uma mulher assim? Todas essas frases, porém – e todas as outras que já ouvi (direta ou indiretamente) Rita dizer – ficaram menores quando, no sábado passado, durante o que foi anunciado como seu “show de despedida dos palcos”, Rita Lee disse o seguinte:

“Vocês não têm o direito de usar a força na meninada – que não tá fazendo nada! Cadê o responsável, eu quero falar! Esse show é meu, não é de vocês! Esse show é minha despedida do palco, e vocês continuam tendo que guardar as pessoas – não agredir. Seus cachorros – coitados dos cachorros…”.

A, hum, “colocação” não foi dita, claro, em uma entrevista íntima, mas diante de uma plateia de milhares de sergipanos (o show foi em Aracaju), que foi surpreendida pelo que parecia ser uma revista de policiais à procura de drogas. Rita – que, como ela mesma disse então, é do tempo da ditadura, ficou deveras incomodada com o que ela julgou ser truculência na ação – para não falar da arbitrariedade da própria atitude. (Já imaginou se o mesmo “choque de ordem” fosse determinado em outros tantos shows e festivais que agora acontecem no Brasil? De destino obrigatório para artistas em ascensão e já consagrados, passaríamos à escala a ser evitada – para não dizer “motivo de piada” anacrônica – para o melhor da música atual. Mas eu, enfim, divago…). Diante do que via, Rita não se conteve – soltou o verbo.

Seu discurso foi bem maior – e bem mais forte – do que o breve trecho que citei acima. Além dessa reportagem que você pode conferir aqui mesmo no G1, não é nada difícil encontrar na própria internet dezenas de outros registros (alguns até mais completos) de seu discurso. Mas nem é preciso analisar muito seu texto para entender porque o protesto de Rita – que com propriedade impecável insistia: “Esse show é meu, não é de vocês!” – fez com que ela fosse detida pela própria polícia. “Cachorros”, a bem dizer, foi a palavra mais “carinhosa” que ela usou para criticar os homens da lei. Talvez se ela tivesse ficado por aí, a confusão teria sido abafada. Mas aí Rita mandou um “filhos da puta”. E pronto…

Em seu depoimento oficial, Rita Lee disse que agiu movida pelo “calor das emoções” – certamente um resumo bem vago para definir a somatória de todas as experiências de cantora nessa sua trajetória de anos – de fato, ela passou por toda a montanha-russa de mudanças políticas e sociais, que toda uma geração (talvez duas), que hoje faz o que quer (seja num show de rock, no meio de uma multidão, ou no quintal da sua casa, na frente de seus pais), nem desconfia que essa mesma liberdade teve que ser muito batalhada. E por gente como Rita Lee! Isso, como você pode imaginar, deixa uma marca nas pessoas. Do seu lado, a polícia de Sergipe soltou uma nota dizendo que não houve, naquela noite, nenhuma ação que justificasse “os insultos proferidos pela cantora Rita Lee durante sua apresentação”.

Observando apenas as imagens, não é muito simples decidir quem estava mais com a razão. O que me parece é que a situação criada tem muito pouco a ver com o que estava acontecendo em si, e mais com os registros de coisas passadas. Rita, como ela mesmo disse – e eu acabei de ressaltar aqui – tem sua cota de experiências com truculência militar e repressão de todo tipo na história de sua carreira (que, como toda boa roqueira, se confunde com sua própria história de vida). E a própria polícia – ainda que não especificamente de Sergipe (cujo passado específico desconheço) – sabe que tem na sua história momentos de exagero que em nada contribuíram para criar uma imagem positiva – não só com a geração de Rita, como com as que vieram depois dela. As duas coisas misturadas, numa noite de (citando Rita) fortes emoções, deu nisso!

Poderia ter sido apenas mais um capítulo de um longo livro – que felizmente nunca acabará de ser escrito – chamado: “It’s ony rock n’roll but I like it”. Mas a detenção de Rita ganhou, inevitavelmente uma repercussão nacional – e em mais de uma roda de conversa que participei neste domingo, dividiu opiniões. Como provoquei logo de início – ali acima, no título do post de hoje – eu acho sim que Rita Lee pode dizer o que quiser. Aliás, qualquer cidadão pode ter o direito de dizer o que quiser – até mesmo Rafinha Bastos. Não estou com isso, vale explicar, comparando os dois artistas, muito menos o conteúdo do que eles disseram (Rita na noite de sábado, e Rafinha na sua infeliz – e o que seria última – participação no “CQC”). O que é importante – e aí a analogia faz sentido – é que cada um que diz o que quer deve ter noção do peso de suas palavras. E eu não tenho nenhuma dúvida que Rita sabia exatamente o quanto as suas pesavam.

No contexto de tudo que foi dito, não vejo as palavras da cantora como uma provocação – mas sim uma reação. Não estou, de maneira alguma, desafiando eu também as autoridades, nem questionando o que define a sensibilidade desses profissionais (públicos, é bom lembrar) a ponto de considerar um ou outro ataque como “desacato”. A lei e suas interpretações estão aí para isso mesmo – e imagino que o processo vá se desenrolar nos próximos dias, como é de se esperar. O que quero mais hoje aqui é saber da sua opinião: Por tudo que ela representou esses anos todos para mim – e eu diria (sem medo de errar) até para o Brasil! -, eu digo mais uma vez: Rita Lee  pode dizer o que quiser. Será que você colocaria um ponto de interrogação nessa frase?

Enquanto você pensa, deixa eu mandar um “correio elegante” para a Rita? Aqui vai: “Meu amor, justamente por episódios como os deste fim-de-semana que eu torço para que essa conversa de despedida dos palcos não seja a sério… Diz pra mim que você tá só dando uma de Frank Sinatra, vai? E que a gente ainda vai ter muitas e muitas chances de se despedir de você? Bejo!”.

O refrão nosso de cada dia: “The drugs don’t work”, The Verve.

Ok, eu admito: essa canção não é exatamente uma raridade – nem uma faixa obscura para a qual eu quero chamar sua atenção (como é o caso de boa parte das indicações que você conhece por aqui). Mas eu a ouvi por acaso neste fim-de-semana – e por uma (sempre) estranha associação de ideias, eu conectei uma das músicas mais bonitas do Verve (na verdade, uma das músicas mais bonitas que já foram feitas sobre degeneração e o fim inevitável que espera por todos nós – wow!), com os eventos descritos no post acima. Se você já a conhece (como eu acho que é o caso), aproveite para ouvi-la de novo. Se nunca a escutou, desculpe: ela vai fazer você chorar.

Sérgio

Devo ser velho...



Me sinto cada dia mais fora deste mundo. Já ouviram falar da "cuelcinha"? Está fazendo sucesso. Começo a crer (e não lamentar) que o mundo acabará este ano... Matéria do G1:

Foi para presentear um amigo que a jovem estilista Beatriz Rouce, 21 anos, fabricou sua primeira peça de lingerie masculina. "Eu tenho vários amigos homossexuais, e um dia um comentou que seria interessante se houvesse um produto como esse", conta a empresária de Americana, no interior de São Paulo. "Ele gostou, mais amigos pediram, e eu abracei a ideia", diz Beatriz, que viu no interesse do amigo uma oportunidade de se especializar e abrir a própria empresa. Nasceram daí as "cuelcinhas" (de cueca + calcinha), batizadas assim por serem criadas para se adequarem à anatomia do homem, mas com todos os babados, rendas e delicadezas das tradicionais lingeries femininas. Hoje, ela contabiliza a venda de cerca de 50 peças por dia, confeccionadas por uma empresa de costura terceirizada. É dela, no entanto, a escolha dos desenhos, tecidos, aviamentos, acabamentos e moldes de toda a produção.

O empreendimento contou com o total apoio dos pais de Beatriz. Donos há 23 anos de uma metalúrgica na cidade, eles financiaram a abertura, em outubro do ano passado, da Comum de Dois, empresa criada para a filha. Hoje, a mãe de Beatriz cuida também da administração da empresa ao lado de seu outro filho, Rodrigo, que é responsável pelos estoques, logística, emissão de notas fiscais e envio da mercadoria aos clientes. "Meus pais viram uma oportunidade de crescimento e resolveram investir". Abriram um site na internet, procuraram quem fabricasse as peças e já começaram a receber pedidos e encomendas. As vendas acontecem por Skype e MSN e os produtos são entregues pelos Correios - tudo com a máxima discrição, garante a empresária. Os preços variam de R$ 40 a R$ 55. A reação ao lançamento da marca, conta Beatriz, foi imediata - tanto dos consumidores quanto dos críticos. Nas primeiras semanas, a "cuelcinha" repercutiu nas redes sociais e o site chegou a cair por conta do alto e inesperado número de acessos. "Não precisamos nem fazer propaganda. Logo já estávamos em blogs e recebendo muitos comentários", conta a estilista.

A mãe de Beatriz e gerente da Comum de Dois, Edy Rouce, diz que o filão de homossexuais que gostam de usar peças de roupas femininas existe e é praticamente ignorado no Brasil. "Como empreendedores, é claro que pensamos no resultado. Mas tudo isso surgiu porque esse mercado é carente de coisas exclusivas para eles", diz Edy que, junto com a filha, planeja lançar uma nova linha de produtos no início de fevereiro, sempre ligada ao universo das roupas femininas. "Vamos manter esse conceito". Tanto na opinião da mãe quanto da filha, grande parte das críticas ao produto vem de pessoas que não entenderam o conceito da marca, destinada a atender um nicho específico de consumidores. "Não é um produto para homens heterossexuais, para o namorado de nenhuma mulher. É para um nicho dentro do público gay, e vi que em alguns momentos isso não foi compreendido. Mas não vou me esforçar para que isso seja entendido, quem é o público sabe", diz Beatriz.

Segundo Edy, a gerente, a marca oferece produtos que se diferenciam de itens vendidos em sexshops, dedicados a fetiches, porque a ideia é que as calcinhas sejam usadas também no dia a dia, a exemplo das mulheres. "Tem a vertente da noite, a que você usa para a balada. E tem aquela de usar para o escritório que não vai marcar nada, não vai denunciar nada. Um executivo, por exemplo, não vai gostar que apareça um lacinho. Tem modelos mais básicos", diz. A jovem empreendedora, que até então acumulava no currículo alguns cursos técnicos e trabalhos pontuais na costura, diz que precisou pesquisar e aprender para desenhar as lingeries masculinas. "É difícil porque você tem que aplicar o conceito masculino, com a anatomia diferente, mais a parte da sensualidade". As redes sociais e a internet são as principais fontes de inspiração da empresária para saber das preferências do público e até do que é tendência nas lingeries femininas para aplicá-las às coleções. "É um público exigente, detalhista, que presta atenção no acabamento e vê para onde está indo o dinheiro dele". Justamente pelo inusitado dos produtos que fabrica, Beatriz entende que a seriedade na produção e no relacionamento com os clientes é fundamental para o crescimento da empresa. "É um trabalho sério, é muita responsabilidade. De não fazer feio, de não vulgarizar, de não me denegrir, nem aos meus clientes", afirma a empresária.

Sérgio

Não é vagabunda...



Ela só tinha a b**** vaga, rsrsrs Se a moda pegar, aqui vai ser febre. Tá cheio igual (ou pior!!!)

Um clube de strip-tease venceu um leilão promovido pela neozelandesa Tina Beznec para escolher a tatuagem que ela irá tatuar em seu bumbum. O lance vitorioso foi de 12.450 dólares neozelandeses (R$ 17,6 mil), segundo o jornal "Dominion Post". O clube poderá indicar uma tatuagem no tamanho de 9 x 9 centímetros. Ela contou que está conversando com o vencedor do leilão para definir o que será tatuado. Tina disse que ficou feliz com o resultado. Ela destacou que poderá pagar suas dívidas, visitar sua mãe na Austrália e doar 2.500 dólares neozelandeses para uma entidade de caridade.

Sérgio

Só podia ser em Israel


Essa é interessante... O pessoal lá é macho mesmo. Deu no G1:

Um bebê de 1 ano matou uma cobra de 35 centímetros após arrancar com uma mordida a cabeça do réptil na última quinta-feira em Shfaram, em Israel. A criança Imad Gadir não ficou ferida, mas foi levada para o hospital por precaução, segundo o jornal "Yedioth Ahronoth". Quando percebeu o que tinha acontecido, a mãe do menino começou a gritar. Ao ouvir os gritos, um vizinho pulou o muro da casa, entrou no quarto e tirou a cobra da mão de Imad. "Eu ainda não consigo acreditar no que vi", disse a mãe. O especialista Eli Cohen estima que a cobra tinha três anos de idade. Segundo ele, a picada é dolorida, mas não é venenosa.

Sérgio

domingo, janeiro 29, 2012

O Google e você


Já disse isso várias vezes. Clique na imagem para vê-la maior e pense nisso. PENSE!!! Matéria do Olhar Digital:

Professores de psicologia da Universidade de Columbia, Universidade de Wisconsin-Madison e da Universidade de Harvard, todas nos EUA, fizeram uma descoberta que, em um mundo todo conectado, pode deixar muitas pessoas assustadas. Eles descobriram que a ferramenta de busca do Google está destruindo nossa memória. Basicamente, "estamos nos tornando simbióticos com as ferramentas de computador, crescendo dentro de sistemas interconectados que fazem com que nos lembremos menos da informação em si, e mais de onde podemos achá-la", segundo a pesquisa. Explicando a grosso modo, ao invés de nos lembrarmos o nome de cada presidente do Brasil, por exemplo, nós nos lembramos onde podemos encontrar a lista com esses nomes no Google. Essa memória é a chamada "memória externa", e é a que está prevalecendo sobre a interna. A pesquisa diz que quando as pessoas procuram as mesmas informações em um segundo momento, eles têm baixas taxas de lembrança sobre a informação em si e taxas maiores quando o assunto é saber localizar esses dados todos.

Sérgio

USS George Bush (CVN 77)


Vejam como é o dia-a-dia de operações no deck de um porta-aviões nuclear norte-americano. São mais de 5.000 homens e quase 100 aviões e helicópteros no mais novo, o CVN-77 George H.W. Bush (o pai), que ficou pronto em 2009. O brinquedinho custa 6.2 bilhões de dólares...

Sérgio

De bem com a vida...


Ele é co-piloto da Dutch Antilles Express e estava no assento da direita do Fokker 100, prefixo PJ-DAA, prestes a decolar do aeroporto Princess Juliana em St. Maarten, no dia 13.12.2011. Só sei o primeiro nome dele, Djuri. Mas a alegria dele é contagiante e escolhi ela para ser o primeiro post deste domingo!!! Um ótimo dia para todos...

Sérgio

sábado, janeiro 28, 2012

Acid Girl e feminismo


Realmente, acredito que ela toca em alguns pontos interessantes... Especialmente no final, comentando as mulheres (e homens) que se vangloriam de "não saber cozinhar, limpar uma casa", como se isso fosse demérito.

Sérgio

Duas???


Essa achei no Acidez Feminina. Vejam uma entrevista dela ao Mail Online da Inglaterra clicando AQUI. Interessados, ela está no Facebook. Ah, e para quem se animou mesmo, imaginem duas TPM's no mesmo mês...

Na semana passada muito se falou de uma mulher que diz ter duas vaginas e por isto, ter perdido a virgindade duas vezes. Bom, como os produtores de filmes pornôs não são nada bobos, já fizeram uma proposta milionária para a Dominicana mostrar a anomalia em um filme pornô. Hazel Jones foi diagnosticada com a raríssima condição aos 18 anos e segundo a própria, precisou perder a virgindade duas vezes! Hazel tem dois úteros separados, duas vaginas e duas cérvices. O problema se dá por uma má formação e é imperceptível às outras pessoas. A condição só foi percebida quando veio a primeira menstruação da garota, aos 14 anos, e ela reparou que o sangramento vinha de dois lugares distintos, mas não se preocupou muito com isso, apesar de dizer que era bastante desconfortável. O produtor de filmes adultos, Steven Hirsch ofereceu um milhão de dólares e o direito de escolher o parceiro, para tentar convencer Hazel a participar de suas produções. Hazel até agora não deu nenhuma resposta para o produtor, mas bem que gostaríamos de ver uma anomalia dessas né?! Vi no Portal Virgula

Sérgio

Funk alto na rua...


Sabe aquele carro que passa tocando funk? Alto, distorcido, sem noção? Ou aquele carinha que, na praia, toca alto o som do celular com um funk? Confesse que você gostaria de dizer isso a ele...

Sérgio

Coca-Cola Laranja?


Orange Coke... Já viram isso? Se morassem no Japão, teriam visto isso e muito mais. Aliás, vejam daí mesmo, do seu computador, clicando AQUI e indo ao blog The Awesome Post.

Se sentindo...


Tem gente sem noção, não? É um lugar interessante a Apple Store, você vê muita coisa engraçada. E a loja é a da 5ª Avenida.

Sérgio

Hangar de Plástico | Viscount


Esse é meu trabalho de hoje aqui no HangarVickers Viscount 700 Series, nas cores da FAB, aeronave 2101 (código VC-90 e VC-92), recebido novo em 23.12.1957 (número de série 345, modelo 789D), que serviu à Presidência da República e hoje encontra-se preservado no Museu Aeroespacial no Campo dos Afonsos, Rio de Janeiro. Em breve mais fotos do kit na 1/144 da S&M Models pronto, faltam detalhes na pintura.

Sérgio

Carro dos sonhos...


Não tenho porquê sou brasileiro. Se morasse nos EUA, estava na minha garagem... Lá é barato, aqui é um roubo!!! Esse é o comercial que passou no Superbowl em 2011, chamado "Miss Evelyn".

Sérgio

sexta-feira, janeiro 27, 2012

Adevogados...


Não se assustem... Leiam e vão entender a razão do erro proposital acima, rsrsrs

Sérgio

Esse passará perto...


O fim está agendado para 2012, mas não é hoje, rsrsrs Matéria revista Galileu:

Um asteroide de 11 metros de diâmetro deverá passar perto da Terra na noite dessa sexta-feira. A rocha espacial, chamada de 2012 BX34, chegará à cerca de 60.000 km da Terra, menos de um quinto de nossa distância até a lua. Esse deve ser o objeto espacial que chegou mais próximo da Terra desde julho do ano passado. Mas, antes que você se desespere, os cientistas garantem que não há motivo para preocupação. Em entrevista à BBC, o diretor do Centro de Planetas Menores, Gareth Williams, afirmou que essa é uma das 20 maiores aproximações já registradas, mas está longe o bastante e não há absolutamente nenhuma chance dele bater em nós. A rocha espacial não poderá ser vista a olho nu, mas astrônomos de todo o mundo já estão preparando seus telescópios para poderem apreciar o evento. 

Sérgio

Sem noção...


Não apenas fumou durante o voo, como enrolou um baseado no avião, rsrsrs Pode? Matéria do G1:

Um homem de 43 anos foi preso na segunda-feira (24) depois que fumou maconha em um voo da companhia Jet Blue que ia de Los Angeles para Newark, no estado da Nova Jersey (EUA). Adam Blumenkranz fumou a droga no banheiro da aeronave. Ele foi detido quando desembarcou no destino, segundo reportagem da emissora de TV "ABC 7".

Sérgio

Cortes de carne...


Essa é para quem não sabe onde ficam as partes, rsrsrs Foi em Londres:

A modelo Sophie Barrett ficou seminua nesta quinta-feira (26) em Piccadilly Circus, em Londres, em um protesto a favor do vegetarianismo. Integrante do PETA (grupo que defende o tratamento ético de animais), ela estava com o corpo pintado com cortes semelhantes aos da carne bovina. Sophie portava um pôster que dizia: "Todos os animais têm as mesmas partes: não coma carne". Ela acabou sendo retirada do local pela polícia.

Sérgio

quinta-feira, janeiro 26, 2012

O novo caça F-35


Pessoal,

Como é linda a aviação... No último dia 18 de janeiro, um caça F-35 Lightning II realizou o primeiro voo noturno do programa JSF, num voo que ocorreu na Base Aérea de Edwards, na California. A aeronave F-35A, AF-06, tinha nos controles o piloto de testes da Lockheed Martin Mark Ward, decolou às 17h05 e pousou após o pôr do sol, às 18h22. A missão consistiu numa série de aproximações em linha reta no crepúsculo e na escuridão. O piloto também realizou uma avaliação da iluminação cockpit do F-35, que Ward descreveu como “o melhor que ele já viu.” Os testes abrirão o caminho para os testes de reabastecimento e de formação a noite ainda este ano. 

Sérgio

quarta-feira, janeiro 25, 2012

Periguete inglesa


Pessoal,

Tem uma piada que adorei conhecer dizia que há três seres que não sentem fio: urso polar, pinguim e piriguete, rsrsrs Vejam a história da inglesa chamada de "Vampira Sexy". Abaixo a roupa com a qual não a deixam entrar em clubes e acima, a foto produzida. Outra coisa, não? Ah... Esse mundo!!!

Após ser barrada em três casas noturnas em Worcester, no Reino Unido, por estar usando roupas muito reveladoras, a britânica Lisa Woodman, de 28 anos, posou para fotos como uma "vampira sexy", segundo o jornal inglês "The Sun". Lisa teve a entrada proibida nos clubes Velvet, Mode e Tramps, que pertencem ao mesmo dono. O diretor Dean Hill disse que os clubes têm um código de vestimenta. Com base nele, os seguranças podem vetar a entrada de qualquer cliente. Mãe de quatro filhos (Josh, de 12 anos, Jamie, de 10, Billie, de 6, e Angel, de 3), a mulher acusa os clubes de discriminação. "O que há de errado com o que estou vestindo?", questiona Lisa. "Eu só quero ser tratada com um pouco de respeito", acrescentou.

Sérgio

Stella


Pessoal,

A baixinha sempre me surpreende... Vejam a nova mania dela, em foto de ontem no Clube do Exército em Brasília. Ai que medo, rsrsrs Linda!!!

Sérgio

Mudou de nome...


Pessoal,

Depressão é coisa séria. E um caso desses, bem exemplifica que não importa o dinheiro, o sucesso, a beleza. A vida precisa de tudo, especialmente de um bom relacionamento. E mostra, ainda, que a responsabilidade de um parceiro num relacionamento é enorme. Terminar é uma coisa. Trair (e publicamente) traz uma dor ainda maior. Pensem nisso... Matéria G1:

A atriz americana Demi Moore foi internada na segunda-feira (23) em um hospital de Los Angeles, na Califórnia, devido ao "cansaço", informou nesta terça-feira (24) seu empresário Carrie Gordon. Os paramédicos foram chamados à casa da atriz durante a noite de segunda e, depois de atendê-la por meia hora, levaram-na a um hospital local. Demi Moore decidiu "buscar assistência profissional para tratar seu esgotamento", afirmou o empresário , em comunicado. "Devido ao estresse que sofre em sua vida neste momento, Demi decidiu buscar assistência profissional para tratar seu cansaço e melhorar seu estado de saúde geral", disse Gordon. De acordo com o site TMZ.com, especializado em personalidades, a atriz foi internada devido ao "abuso de substâncias". Demi Moore anunciou em novembro seu divórcio do ator Ashton Kutcher, com quem esteve casada durante seis anos, em meio a rumores sobre supostas infidelidades do protagonista da série 'Two and a Half Men'. A atriz de "Proposta Indecente" (1993) e "Striptease" (1994), que nos anos 1990 tornou-se uma das mais bem pagas de Hollywood, causou impacto no mundo do espetáculo quando posou nua exibindo sua avançada gravidez na capa da revista Vanity Fair, em 1991. Moore tem três filhas com seu segundo ex-marido, o ator Bruce Willis.

Sérgio

Taubaté


Pessoal,

Foi muito bonito o amanhecer de hoje em Taubaté... Vale a pena acordar cedo por vários motivos!

Sérgio

Parabéns, São Paulo!!!




Pessoal,

Hoje é aniversário de São Paulo, 458 anos. A festa é grande e merecida. Veja abaixo a programação, divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo:

A Prefeitura de São Paulo divulgou a programação oficial da comemoração ao aniversário de 458 anos da cidade. 

VEJA A PROGRAMAÇÃO OFICIAL

Serviço

Palestras e debates - "São Paulo do Futuro" e Show da banda Tulipa Ruiz
No dia do aniversário da cidade de São Paulo, a rádio CBN organiza um programa ao vivo com plateia e convidados especiais exatamente onde a história começou, no Pateo do Collegio. Entre os convidados para pensar e discutir a São Paulo do Futuro estão: o arquiteto Ruy Ohtake; a vice- presidente do Núcleo de Estudos do Futuro da PUC, Rosa Alegria; e o coordenador do projeto SP 2022 e colunista da CBN Maurício Broinizi. A música ao vivo ficará sob o commando da nova revelação paulistana Tulipa Ruiz.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 9h30 às 12h
Local: Pateo do Collegio
Endereço: Pateo do Collegio - Centro (Linha 1 Azul/ Linha 3 Vermelha - Estação Sé)
Grátis

Museu Paulista ("Museu do Ipiranga") - 1ª Feira do Livro do Museu Paulista
Em comemoração aos 458 anos da cidade de São Paulo e aos 78 anos da USP, o Museu estará com uma iluminação especial na semana do aniversário, de 22 a 29 de janeiro. E, com início no dia 25 e término no dia 27, além das atividades normais, também será realizada a 1ª Feira do Livro do Museu Paulista, no Saguão do Museu. Os visitantes poderão conhecer mais sobre a história da capital paulista e encontrar livros com preços mais baixos.
Data: de 22 a 29 de janeiro
Horário: das 9h às 17h
Local: Museu Paulista ("Museu do Ipiranga")
Endereço: Parque da Independência, s/n - Ipiranga
Preços: R$ 6 (inteira) R$ 3 (meia) - Idosos acima de 60 anos e crianças de até 6 anos não pagam
Telefone: 2065-8001
www.mp.usp.br

Exposições e Apresentações de Jazz - Biblioteca Mario de Andrade
No aniversário de 458 anos da cidade de São Paulo, que também marca um ano de reabertura da Biblioteca Mario de Andrade, será oferecida uma programação especial, com a apresentação musical Chorando Jazz, uma exposição dedicada à metrópole e visitas monitoradas a cada duas horas, para que o público possa conhecer as instalações da biblioteca.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 9h às 17h30 - espetáculo de jazz às 16h
Local: Biblioteca Mario de Andrade
Endereço: Rua da Consolação, 94 (Linha 3 Vermelha de Metrô - Entre as estações República e Anhangabaú)
Grátis (Ingressos para a apresentação de Jazz a partir das 15h)
Telefone: 3256-5270

Sarau temático "Sampoemas"
Artistas de diversas linguagens já manifestaram seu amor pela metrópole em pinturas, poemas, canções entre outras linguagens. A Casa das Rosas comemora o aniversário da cidade com a 8ª edição do Sampoemas – evento que cultua a metrópole com programação temático no mês de aniversário da cidade com palestras, recitais de poesia e sarau temático.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 15h às 20h
Local: Casa das Rosas
Endereço: Av. Paulista, 37 - Bela Vista (Linha 2 Verde de Metrô - Estação Brigadeiro)
Grátis
Telefone: 3285-6986 / 3288-9447
www.poiesis.org.br/casadasrosas

XV Troféu Cidade de São Paulo Carrefour - 10km
Corrida em comemoração ao aniversário da cidade
Data: 25 de janeiro
Horário: às 7h40
Local: Obelisco do Ibirapuera
Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n - Moema
Preço: R$ 55 (inscrições) - Grátis para espectadores
Telefone: 5095-5144
Site: Clique aqui

Show Paralamas do Sucesso
Os Paralamas do Sucesso fazem show gratuito Parque da Juventude, na zona norte da capital paulista, a partir das 18h.
Data: 25 de janeiro
Horário: às 18h
Local: Parque da Juventude
Endereço: Avenida Zaki Narchi, 1309 - Santana
Grátis
Telefone: 2251-2706
www.sejel.sp.gov.br/parquedajuventude

5º Vale da Participação e Parceria - Shows
Para comemorar a data, a Secretaria de Participação e Parceria (SMPP) realizará um dia repleto de shows e diferentes atrações musicais. Entre as principais atrações confirmadas para a festa, estão: Gustavo Lima, Samba de Rainha, Pixote, Katinguelê, Sampa Crew, Jammil e Uma Noites, João Bosco e Vinícius, Eduardo Costa, Orquesta Sinfônica do Maestro Carlos Martins e a bateria da escola de samba Vai Vai.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 9h às 21h
Local: Vale do Anhangabaú (Linha 3 Vermelha - Estação Anhangabaú)
Grátis

Show Ney Mato Grosso
A Secretaria Municipal de Cultura celebra o aniversário de 458 anos da cidade de São Paulo com show gratuito do cantor Ney Matogrosso. O artista apresenta seu último trabalho, Beijo Bandido, na Praça da República.
Data: 25 de janeiro
Horário: às 20h
Local: Praça da República, s/n (Linha 3 Vermelha - Estação República)
Grátis
www.prefeitura.sp.gov.br

Show Forrópoeira - Centro de Tradições Nordestinas
Para comemorar o aniversário de São Paulo no melhor jeito nordestino, a banda Forrópoeira colocará todo mundo para arrastar o pé no CTN.
Data: 25 de janeiro
Horário: a partir das 22h
Local: Centro de Tradições Nordestinas - CTN
Endereço: Rua Jacofér, 615 - Bairro do Limão (Linha 3 Vermelha - Estação Barra Funda - No Terminal Rodoviário, pegar Lotação Santa Terezinha, que deixa próximo ao local)
Grátis
Telefone: 3488-9447 / 3488-9410
www.ctn.org.br/agenda

Conexão Cultura - Exposições, música e gastronomia
“Conexão Cultural São Paulo”, projeto organizado pela Conexão Cultural, promove acesso e conteúdo na área cultural, por meio da integração entre as mais diversas formas de arte. O evento tem como objetivo integrar as pessoas com a cidade por meio da arte, música e gastronomia. As atividades serão realizadas no MIS.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 13h às 22h
Local: Museu da Imagem e do Som - MIS
Endereço: Av. Europa, 158 - Jardim Europa
Grátis
www.mis-sp.org.br

Show "Sinfonia Paulistana"
A história da cidade de São Paulo — de Anchieta até os dias de hoje — contada musicalmente, com gêneros atuais, vem acompanhada de um documentário que registra e preserva esse memorável capítulo da MPB.
Data: 25 de janeiro
Horário: Às 20h30
Local: Centro Cultural Fiesp Ruth Cardoso
Endereço: Av. Paulista, 1313 (Linha 2 Verde - Estação Trianon-MASP)
Grátis (retirada de ingressos no Teatro do Sesi-SP, a partir das 12h do dia 25/01)
Telefone: 3146-7405
www.sesisp.org.br

Show de despedida do Exaltasamba
Uma das maiores e mais queridas bandas de pagode do Brasil, o Exaltasamba se despede de São Paulo com show no Pavilhão do Anhembi, na zona norte da cidade.
Data: 25 de janeiro
Horário: abertura dos portões às 12h; apresentações a partir das 16h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Endereço: Avenida Olavo Fontoura, 1209 - Santana
Preço: entre R$ 50 e R$ 100
Telefone: (11) 4003-5559
Site: www.atrasdotrio.com.br

Turismetrô especial
Normalmente realizado aos fins de semana, o Turismetrô é um passeio que percorre diversos pontos turísticos de São Paulo, divididos em cinco roteiros, tendo como ponto de partida a Estação Sé do metrô. Excepcionalmente na quarta-feira do aniversário da cidade, todos os roteiros serão realizados, às 9h e às 14h. 
Data: 25 de janeiro
Horário: 9h – Turismo na Sé / Turismo na Paulista. 14h – Turismo na Luz /  Turismo na Liberdade / Turismo no Teatro Municipal
Local: Estação Sé do Metrô 
Preço: entre R$ 2,90 e R$ 5,80 (um ou dois bilhetes de metrô)
Telefone: (011) 2958-3714 / 7716-5141
Site: www.metro.sp.gov.br/cultura/turismetro/turismetro.asp

Passeio de Trólebus
Saindo do Pateo do Collegio, o Trólebus circula por vários pontos famosos do centro de São Paulo, como o Largo São Bento, Avenida São João e Avenida Ipiranga. Por motivos de organização, serão distribuídas senhas aos participantes, a partir das 8h30. 
Data: 25 de janeiro
Horário: das 9h às 16h – o passeio tem duração de 40 minutos
Local: Pateo do Collegio
Endereço: Pateo do Collegio - Centro (Linha 1 Azul/ Linha 3 Vermelha - Estação Sé)
Grátis

Música - Projeto Agridoce
A roqueira baiana Pitty e o guitarrista da sua banda, Martin, inovaram em novo projeto musical. O estilo intimista, puxando para o folk, é bem diferente do trabalho habitual da cantora. Eles apresentam o resultado disso no Sesc Pinheiros.
Data: 25 de janeiro
Horário: às 18h
Local: Sesc Pinheiros
Endereço: Rua Paes Leme, 195 - Pinheiros (Via Quatro - Linha Amarela de Metrô - Estação Faria Lima)
Preço: R$ 32 (inteira) R$ 16 (meia) R$ 8 (associados Sesc)
www.sescsp.org.br

Exposição - São Paulo 458 - A Bela Metrópole
O Museu Afro Brasil inaugura no dia do aniversário de São Paulo a exposição fotográfica que mostra registros cidade quando havia bondinho, mansões na Avenida Paulista e o auge glamuroso do Teatro Municipal.
Data: inauguração dia 25 de janeiro
Horário: às 13h
Local: Museu Afro Brasil
Endereço: Av. Pedro Álvares Cabral, s/n - Parque do Ibirapuera
Grátis

Passeio - "Cãonhecendo São Paulo"
A sétima edição do evento leva os cães e seus donos para conhecerem parte da história da cidade em "cãominhada" pela Avenida Paulista. No roteiro, estão passeio pelo parque Trianon, passagem pelo MASP, edifício da FIESP/CIESP, parque Mário Covas, Instituto Pasteur, Itaú Cultural, Hospital Santa Catarina e com chegada na Casa das Rosas. No final, os "turistas de quatro patas" irão aproveitar um saboroso cafezinho no interior da casa. Os donos também vão participar da refeição.
Data: 25 de janeiro
Horário: das 9h às 12h
Local: concentração no Parque Trianon (Linha 2 Verde de Metrô - Estação Trianon-MASP)
Endereço: Av. Paulista
Preço: R$ 60 (humanos) R$ 30 (cão)
www.turismo4patas.com.br

Espetáculo - Fonte do Parque do Ibirapuera
O lindo espetáculo da Fonte Iluminada do Parque do Ibirapuera acontecerá novamente em virtude do aniversário da cidade. Durante nove dias, o público poderá ver diariamente um show de luzes e músicas em homenagem à cidade.
Data: de 21 a 29 de janeiro
Horários: às 20h30 e às 21h
Local: Lago do Parque do Ibirapuera
Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n
Grátis

Sérgio

terça-feira, janeiro 24, 2012

Que estranho...


Pessoal,

Tem cada gente estranha no mundo... Matéria do G1:

Após morar por mais de dois anos no banheiro de sua casa em Cingapura, uma mulher de 58 anos finalmente deixou o local. Leong Mee Yan permaneceu 902 dias no pequeno espaço, desde 25 de março de 2009, segundo o site de notícias "Asia One". A mulher fazia suas refeições e dormia sentada no vaso sanitário. Seu marido tentou persuadi-la a deixar o banheiro, mas ela se recusou. Leong disse que uma força estranha a impedia de se levantar da privada toda a vez que ela tentava.

Sérgio

Tantas qualidades


Pessoal,

Se é verdadeiro, não sei... Mas faz sentido.

Sérgio

(papai e...) Mamãe


Pessoal,

Que mãe legal... Nem todo mundo deveria ter filhos, rsrsrs Matéria G1:

Uma jovem de 15 anos ligou para a polícia em Panama City, no estado da Flórida (EUA), por conta do barulho que sua mãe fazia durante o sexo com o namorado, segundo o "Smoking Gun", site que reúne notícias policiais nos EUA. O incidente ocorreu na madrugada da última quinta-feira. Um policial chegou a atender a ocorrência e interrogou mãe e filha. O agente escreveu no relatório que as duas teriam discutido, e a jovem teria pedido para ser levada para um abrigo. A garota afirmou ainda que se sentiu desrespeitada pelo barulho de sexo protagonizado pela mãe. No entanto ela reconheceu que nunca sofreu nenhuma forma de abuso ou negligência em casa. A mãe explicou à polícia que estava com namorado e sua filha ficou chateada após acordar com o barulho do ato sexual. A mulher acrescentou que os quartos estão próximos um do outro, mas ela não tinha a intenção de acordar a filha. No final, o adolescente decidiu que não queria sair sua casa.

Sérgio

Animais...


Pessoal,

A falta de respeito dos bandidos supera qualquer limite moral, ético, humanitário. É muito difícil conviver com estes "animais". Aliás, é ofensivo aos animais serem comparados a estes seres, porém, me rucuso a compará-los a seres humanos. Um bandido em São Paulo, ontem, fez "strike" em 13 carros na Marginal Tietê para tentar fugir com um caminhão 0 km que acabara de roubar. Imaginem o risco para as pessoas. Vejam o tamanho do estrago no carro acima. Uma pessoa sem consideração com os demais, total desrespeito com a vida alheia. Mas, cadê os defensores dos Direitos Humanos para falar do risco de vida das pessoas que foram vítimas? Elas ficaram horas por lá esperando a perícia. Alguém dos Direitos Humanos apareceu? Por estas e outras, fica a sensação de que só defendem Direitos Humanos para bandidos. me desculpem, mas quem abdica tratar terceiros como humanos, não merece tratamento diferente. Cansei...

A pista expressa da Marginal Tietê, sentido Rodovia Ayrton Seena, próximo à Ponte das Bandeiras,  foi liberada por volta das 6h30 desta terça-feira (24), em São Paulo. No trecho, um caminhão roubado por dois criminosos colidiu com 13 carros na noite desta segunda (23), pouco antes das 21h. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), não havia lentidão no trecho, no horáio. Os motoristas dos veículos atingidos relataram o desesperado no momento do acidente. “Teve muita gritaria, deu para ouvir crianças chorando”, afirmou o técnico em informática Erick Laruccia, de 25 anos. O jovem trafegava lentamente com seu Peugeot 206 pela pista expressa, sentido Rodovia Ayrton Senna, por volta das 20h40, quando sentiu “um tranco”. “O caminhão me bateu na traseira e eu freei.” Ele conseguiu ver outros veículos sendo atingidos. “A mulher que estava no carro ao lado começou a passar mal. Eu a ajudei a ser socorrida”, contou.

Segundo a PM, a sequência de colisões ocorreu após dois criminosos roubarem o caminhão próximo à Rodovia Anhanguera. Um caminhoneiro viu a ação da dupla e chamou a polícia. O veículo foi avistado próximo à Ponte do Limão. Houve perseguição e, quando policiais militares alcançaram os criminosos, começou um tiroteio. “Ele [ladrão] sacou a arma e disparou. Os policiais reagiram e atiraram. Nisso, ele engatou a primeira marcha e avançou”, disse o capitão da PM Alexandre Nepomuceno. Segundo o policial, depois das batidas o veículo parou e o criminoso, ferido nas costas e no pé, desceu e jogou a arma no Rio Tietê. Após ser rendido, ele foi levado ao pronto-socorro do Hospital do Mandaqui. Um comparsa conseguiu fugir, segundo a assessoria de imprensa da corporação. Notadamente triste pelas colisões terem danificado os para-choques dianteiro e traseiro e os faróis de seu Prisma, o supervisor de solda Jair Batista de Souza, de 35 anos, lamentava não ter seguro de carro. “Acho que o conserto vai ficar em R$ 2,5 mil. No mínimo.”

Outro motorista com prejuízo era o verdureiro Lucas Fernandes, de 24 anos. “Vi no retrovisor o caminhão acertando um Uno e joguei meu carro para o lado. Mas ele me acertou mesmo assim”, lamentou. Seu Gol teve o porta-malas e a lateral danificados. "Acho que vou ter que pagar uns R$ 2 mil para arrumar." O jovem, que veio de Itapeva, em Minas Gerais, para "receber um dinheirinho na Ceagesp", pretendia voltar ainda na segunda para casa. “Mas acho que vai demorar aqui.” Às 23h30, os motoristas aguardavam a chegada de peritos da Polícia Técnico-Científica para analisar seus veículos. Por conta do acidente, duas faixas da pista expressa, na altura do Rio Tamanduateí, estavam bloqueadas.

Sérgio

Janelas interativas


Pessoal,

Que legal, é uma ótima idéia. Matéria Auto Esporte:

A General Motors está desenvolvendo um modelo de janela para o banco traseiro do carro que funciona como uma tela sensível ao toque. Chamado Windows of Opportunity (algo como Janelas da Oportunidade) o sistema foi criado em uma universidade de Israel. No ano passado, a Toyota já havia mostrado uma proposta semelhante, desenvolvida na Europa. Estudantes do Laboratório do Futuro da Academia de Arte e Design Bezalel foram desafiados pela GM a criar conceitos para que os passageiros do banco de trás, especialmente crianças, tivessem uma experiência mais enriquecedora na estrada. A montadora pediu aos estudantes que criassem telas interativas capazes de estimular a atenção e a curiosidade, além de aumentar a conexão com o ambiente externo. Os criadores tiveram liberdade para desenvolver o sistema porque sabiam que a GM não tem planos de colocá-lo no mercado de imediato.

Um dos aplicativos presentes na janela interativa é o personagem Otto. Projetado sobre a paisagem, ele responde à performance do carro, ao clima e ao ambiente externo. Com ele, diz a GM, os passageiros podem aprender sobre meio ambiente de forma divertida. Outro aplicativo, Foofu, permite que os ocupantes utilizem os dedos para desenhar ou explorar o conteúdo, assim como no projeto da Toyota. O app Spindow permitiria que os passageiros "espiassem" a paisagem das janelas de outros usuários do sistema ao redor do mundo, em tempo real. Outro, chamado Pond, facilitaria a troca de mensagens e de músicas com outros caros na estrada.
Para demonstrar o funcionamento, os estudantes criaram um protótipo em escala real de um banco de trás e da janela de vidro comum e, a fim de transformá-la em uma tela interativa, utilizaram um sensor de movimento e um óptico desenvolvidos pela EyeClick.

Sérgio

segunda-feira, janeiro 23, 2012

Maratona de Montagens 03


Pessoal,

Foi dada a largada para a 3ª Maratona de Montagem (M&M 03) do site Hangar de Plástico. O tema será Guerra das Malvinas e,  assim valem todas as aeronaves que participaram desse esforço de guerra de qualquer um dos lados. Prazo da Maratona: de 01.01.2012 até 30.06.2012. Para saber mais, clique AQUI.

A Guerra das Malvinas (em inglês Falklands War e em castelhano Guerra de las Malvinas) ou Guerra do Atlântico Sul ou ainda Guerra das Falklands foi um conflito armado entre a Argentina e o Reino Unido ocorrido nas Ilhas Malvinas (em inglês Falklands), Geórgia do Sul e Sandwich do Sul entre os dias 2 de abril e 14 de junho de 1982 pela soberania sobre estes arquipélagos austrais tomados por força em 1833 e dominados a partir de então pelo Reino Unido. Sem dúvida, a Argentina reclamou como parte integral e indivisível de seu território, considerando que elas encontram "ocupadas ilegalmente por uma potência invasora" e as incluem como partes da província da Terra do Fogo, Antártica e Ilhas do Atlântico Sul. O saldo final da guerra foi a recuperação do arquipélago pelo Reino Unido e a morte de 649 soldados argentinos, 255 britânicos e 3 civis das ilhas. Na Argentina, a derrota no conflito fortaleceu a queda da Junta militar que governava o país e que havia sucedido as outras juntas militares instaladas através do golpe de Estado de 1976 e a restauração da democracia como forma de governo. Por outro lado, a vitória no confronto permitiu ao governo conservador de Margaret Thatcher obter a vitória nas eleições de 1983.


A
Aermacchi MB-339A
Aérospatiale Alouette III
Aérospatiale Gazelle
Aérospatiale SA 330 Puma
AgustaWestland AW109
Avro Vulcan


B
Beechcraft T-34 Mentor
Bell UH-1N Twin Huey
Boeing 707-320
Boeing Chinook CH-47C 
British Aerospace 125
British Aerospace Sea Harrier/Harrier


D
Dassault Mirage 5P
Dassault Mirage IIIEA
Dassault-Breguet Super Étendard
Douglas A-4B(P)/B(Q)/C Skyhawk


E
Embraer EMB 111 Bandeirante (?)
English Electric Canberra


F
FMA IA 58 Pucará
Fokker F27 Friendship
Fokker F28 Fellowship


G
Grumman S-2 Tracker


H
Sikorsky SH-3 Sea King
Handley Page Victor
Hawker Siddeley Nimrod


I
IAI Nesher(Dagger)


L
Learjet 35
Lockheed KC/C-130 Hercules
Lockheed L-188 Electra
Lockheed P-2 Neptune


S
Short SC.7 Skyvan


U
Bell UH-1 Iroquois


W
Westland Lynx
Westland Scout
Westland Sea King
Westland Wasp
Westland Wessex

Sérgio

domingo, janeiro 22, 2012

Esse é o nível...



Pessoal

Antes de mais nada: dizem que isso é música e que isso é "manifestação cultural". Não aceito nem um e nem outro. É manifestação de falta de cultura (musical e geral), de falta de respeito e de excesso de vulgarização das mulheres, que para estes senhores, só servem para oxigenar a cabeça, ter bunda grande, usar roupas coladas e dançar de modo que fariam seus pais se arrependerem de não ter usado camisinha uns anos atrás. Esta é uma manifestação típica e legítima de pessoas que vivem numa era em que o próprio Ministério da Educação, talvez por ter sido comandado por um apedeuta iletrado por oito anos, diz que escrever e falar errado é legítimo. Por favor, menas (SIC)... 

Enquanto não resgatarmos valores, o Brasil só vai descer a níveis desses ou piores. O que falta mais para essas mulheres? Mostraram tudo o que tem e o que não tem. Daqui a pouco só abrindo o corpo... Já vejo as manchetes: veja o sensual intestino delgado da Popozuda de Ipanema...

Esse é o nível cultural do Brasil de 2012... A nossa música popular, que já viu nomes como Caetano, Chico, Milton, Lulu, Herbert, Arnaldo, Frejat serem sucesso, hoje ganham isso, MC Boom, cujo clipe teve produção do DJ Mandrake e conta com a "arte" cênica da Jaula das Popozudas (veja a ficha técnica AQUI e vejam do lado as meninas copiando e fazendo o mesmo em casa). Esse é o tipo de música que eu ouço em carros que me passam pela rua nas sextas e sábados de noite, e olha que moro no interior de São Paulo. O chamado "funk" carioca, de funk não term nada (cliquem AQUI e vejam o que é funk de verdade). Aliás, está mais para fuck carioca, que infelizmente, f**** a música brasileira. Meninas e meninos que crescem ouvindo isso, com este nível de sensualidade (para não dizer sexo explícito) em seu cotidiano, serão adultos maduros no tema? Serão eles, homens que respeitarão as mulheres? Serão elas, mulheres que ensinarão valores para as filhas? Triste é saber que não... E mais triste ainda, é saber que minha filha, criada de outra maneira, está exposta à isso e à pessoas que crescem com estes "valores". E ainda tem gente que me pergunta se eu quero colocar mais filhos no mundo...

Sérgio